Tilt Brush

Já pensaste como seria pintar no ar? O Google, usando os óculos 3D HTC Vive e a aplicação que têm disponível no Steam, permite fazer exactamente isso.

Neste momento, e pelo aspecto, é mais uma brincadeira. No entanto o conceito é excelente e no futuro já o vejo a ser utilizado por grandes empresas para construir protótipos 3D virtuais em menos de nada.

Podem encontrar toda a informação sobre esta aplicação em http://www.tiltbrush.com/

Nova Máquina – Parte 3

Depois para parte 1 em que falei da motherboard, processador e cooler e da parte 2 onde falei da memória, disco e fonte de alimentação, chegamos à parte 3 onde vou falar da placa gráfica, monitor e caixa.

Placa Gráfica

O plano inicial era comprar uma ASUS Strix GTX970. No entanto, à cerca de uma semana atrás, a NVIDIA apresentou a sua nova geração de placas, a série 1000. Esta série é construída sobre a nova plataforma PASCAL que promete velocidades 10x superiores à antiga plataforma, a Maxwell, plataforma que suporta a série 900.

Por estas razões decidi adiar a compra da placa em alguns meses à espera da nova geração. Por agora o display ficará a cargo ou da Intel Graphics 530 (que vem com a motherboard) ou da minha velhota GTX 460 de 2GB que sempre é mais potente. Problema: Não possui display port, só HDMI e DVI. Por isso terei de arranjar um adaptador DVI+ para display port de modo a poder usar esta placa. E não sabem o quão difícil é arranjar este cabo.

Monitor

Em termos de monitor fui atrás de uma sugestão de um amigo. Asus PG279Q é um monitor ASUS que faz Quad HD (2560 x 1440), de 27”, 1 ms de resposta, 144 MHz de refresh rate máximo e G-Sync, uma tecnologia que permite manter o frame rate sem perdas.

Caixa

Procurei várias caixas e acabei por ficar com a Cooler Master CMS-693-KWN1 e devo dizer que foi uma excelente escolha:

  • Bastante espaço para os componentes;
  • Possui 4 baias para SSD e 3 para HDDs de 3.5 de saque rápido;
  • Bastantes peças para auxiliar na montagem dos componentes;
  • Filtros para remoção da poeira;
  • Mega Fan frontal de entrada de ar;
  • Borrachas que facilitam a passagem de cabos;

Ficou uma instalação muito limpa, sem cabos parasitas a passar em frente à board. Tudo extremamente bem arrumado e de fácil acesso e manipulação se no futuro for preciso. Fiquei positivamente surpreendido com esta caixa da CoolMaster e recomendo vivamente a quem quiser montar uma máquina de raiz.

Aspecto final

Depois de cerca de 2 horas de volta da corre, este foi o aspecto final da montagem:

Agora é só testar o bicho a ver o que aguenta!

Nova Máquina – Parte 2

No último artigo falei sobre os 3 primeiros componentes da minha nova máquina: a motherboard, o processador e o cooler. Hoje vou falar sobre as minhas escolhas em termos de memória, disco e fonte de alimentação.

Memória

De memória meti na cabeça que o valor ideal nos tempos que correm eram 32 GB. Estava interessado em comprar 2 dims de 16GB de modo a poder no futuro meter mais 32GB e ficar com 64GB. Assim, e depois de alguma procura, decidi-me pelas Gskill Ripjaws V DDR4-2400MHz 2x16GB. Foi a sugestão de um amigo e não vi porque não. Existem memórias mais rápidas, nomeadamente a 2800, 3000 e 3200 MHz, mas achei que a diferença de preço não justificava o ganho de performance que iria ter.

Incrivelmente, em nenhuma das Amazons havia sets com 2 dims de 16GB. Por isso este foi o único componente que comprei em Portugal, mais propriamente na PCDiga, o sítio mais barato que arranjei.

Ripjaw 32GB

Disco

Em tempos já tinha comprado um SSD de 256GB, mais propriamente um Samsung 850 EVO SSD. O objetivo dele na altura era acelerar um netbook que a minha mulher tinha. Cumpriu a sua função MUITO bem. Agora que a minha mulher tem um portátil novo, consegui reutilizar este disco e tornou-se no disco do Sistema operativo da minha nova máquina.

Ainda pesquisei os novos Samsung 850 Evo M2, mas achei que a diferença de performance não justificava, por agora, o investimento. Como já tinha um SSD, achei melhor investir o dinheiro noutros componentes.

Para além deste disco, vou colocar 3 discos de 3.5 que já tinha cá em casa. 2 de 500 GB e 1 de 1TB.

Fonte de Alimentação

Este foi talvez o componente mais killer porque não precisava de uma fonte tão boa. No entanto pareceu-me um bom investimento dado que precisava de uma fonte fiável face ao restante material que tinha. Por isso escolhi, dentro da gama da corsair mais alta, o modelo de 860W Corsair AX860. Esta fonte, para além de ter uma muita boa eficiência energética, é modular. Isso significa que se coloca os cabos que se necessita o que é magnifico e contribuiu para uma torre muito bem arrumada.

Com isto só me falta falar da placa gráfica, caixa e do monitor, assunto que ficará para a 3ª parte deste artigo.

Nova Máquina – Parte 1

À algum tempo que andava com a vontade de montar uma máquina windows. Mais precisamente um desktop actualizado que me permitisse não só trabalhar, como poder jogar o que me apetece sem problemas.

E assim surgiram algumas semanas de pesquisa até encontrar o equilíbrio perfeito entre performance e valor.

Então vamos aos componentes:

Motherboard

Aqui basicamente a primeira decisão foi: que socket escolher? 2011-v3 ou 1151? Se por um lado o socket 2011-v3 é mais rápido, por outro é mais antigo, mais caro e mais ineficiente em termos energéticos. Aqui escolhi mesmo em termos de preço, dado que para o que preciso socket 1151 é o suficiente. A Motherboard escolhida foi a Asus Z170-DELUXE


Asus z170 Deluxe

Processador

Escolhida a motherboard, o processador foi o segundo passo. Escolhi um Intel Core i7 6700K Processor por parecer o melhor processador para este socket. É um processador a 4Ghz que pode ser overclocked até 4.7Ghz com 4 cores que perfazem 8 threads. Penso que para os próximos anos será uma bicho valente.

Cooler

Como o processador não trazia dissipador e ele pode ser facilmente overclocked através de uma simples configuração da bios, decidi comprar um sistema de cooler valente. Comecei a pesquisar coolers decentes e cheguei à gama da Corsair, mais precisamente a Hydro Series. São Coolers a água, com radiador, ideais para que pensa fazer overclock aos processadores. Estive indeciso entre a versão H100 e H75 onde a grande diferença é o tamanho do radiador. Optei pela versão mais em conta, a Corsair Hydro Series H75, e penso que vou ficar muito bem servido.

E assim estão escolhidos 3 importantes componentes. No próximo artigo vou falar das minhas escolhas em termos de memória, disco e fonte de alimentação.

Óculos Everysight Raptor

Sempre fui um aficionado de bicicletas, principalmente BTT. Um dos grandes desafios que se tem quando se anda de BBT é sempre que caminho vamos tomar. Nos últimos anos os telemóveis ajudaram-nos muito dado que podemos facilmente ter um leitor de GPX. No entanto é pouco prático colocar o telemóvel na bicicleta além de estar sujeito a partir-se numa queda. Também existem os dispositivos específicos para colocar na bicicleta mas, pela experiência que tenho, são pouco intuitivos, qualidades de ecrã pobres e caros.

Com o anúncio do Google Glasses pensei que muito poderia ser feito nesta área. Óculos para ciclitas que podiam dar em tempo real a velocidade, o número de kilómetros percorridos, as horas e, principalmente, mostrar o track de modo a nunca nos perdemos.

Hoje dei de caras com uns óculos especialmente desenvolvidos para os amantes de ciclismo e que são inspirados pela mesma tecnologia usada nos caças da força aérea. Para além das funcionalidade que descrevi anteriormente, tiram fotos e fazem vídeos de alta resolução.

Um video vale mais do que mil palavras. Penso que é um gadget muito interessante, apesar de ter a certeza que vai ser bastante caro e um produto ao alcance de poucos. Vai estar disponível em 2016.