Maratona Star Wars

Star Wars Movies

Acolhi hoje em minha casa uma maratona onde o objectivo era rever os 6 episódios da Star Wars seguidos. Eram cerca de 14 horas de filme, era um trabalho muito duro, mas alguém tinha de o fazer antes de ir ver o episódio VII. E fizemos. Foram 5 resistentes iniciais, com mais uma resistente a chegar a meio e a não aguentar até ao fim e mais 2 que chegaram, viram só o episódio 3 e deixaram-nos. No final, apenas 4 conseguiram ver tudo do início ao fim.

A ordem pelo qual vimos pode levantar polémica e até posso falar desse tema num futuro próximo. No entanto é aquela que me faz mais sentido e essa é a cronológica de acontecimentos: Episódio I, II, III, IV, V e VI.

Episódio I

Sem dúvida o mais fraco dos 6. George Lucas tentou criar um fio que pudesse iniciar a história mas penso que não teve sucesso. A partir do momento em que Jar Jar Binks aparece a história piora significativamente. O pouco que se pode salvar deste filme é Qui-Gon Jinn e para mim um dos grandes Sith Lord, Darth Maul.

Episódio II

Sem dúvida o 2º na lista dos mais fracos. O filme passa um pouco rápido e trás pouco sumo à história. Trás a origem de Boba Fett (um dos meus personagens preferidos), a introdução do exército dos clones, um Sith Lord com pouca relevância apesar se ser protagonizado por um monstro do cinema e o Yoda a lutar que, embora seja extremamente engraçado, é sem dúvida estranho como um personagem pequeno e que usa bengala pode-se mexer de forma tão ninja. Penso que é um pouco de abuso e a história devia ter sido conduzida de outra forma. Pelos pontos mais negativos temos Hayden Christensen como Anakin Skywalker que faz um péssimo papel e estraga completamente o personagem. E só pela forma como anda sempre a fazer-se a Padmé devia ser encarcerado por perseguição e fanatismo. Enfim…

Episódio III

Para mim o melhor destes “novos” filmes, mas no entanto muito atrás dos originais. É um episódio com muito mais acção, mas nem isso chega para o salvar. A forma forçada como Anakin passa para o lado negro é tenebrosa, puxada a ferros com uma força brutal. Mais uma vez metem o Yoda a fazer piruetas e o Jar Jar a lixar o esquema todo propondo que Palpatine tenha ainda mais poderes e consiga transformar a Republica em Império. A ordem 66 é muito bem utilizada para justificar a eliminação em massa dos Jedi, no entanto não compensa o resto da história. O vilão, o general Griveous é muito bom, mas pouco utilizado aparecendo e sendo rapidamente derrotado. Nem lhe tomei o gosto.

Já agora um fun fact: todos os Clones vistos no episódio 2 e 3 eram CGI. Não foi feito 1 fato de clone para as filmagens.

Episódio IV

E aqui entramos nos bons. Este entra no meu top 3 como o 3º melhor episódio e a anos de luz dos anteriores. Mesmo sem CGI, temos uma história bem mais sólida que se constrói de forma muito natural e oferecendo cenas épicas como “These are not the droids you are looking for” ou a chegada do Han Solo à última para salvar o dia. É um pouco estragada pela quantidade adicional de CGI adicionada por George Lucas na versão remastered, completamente irrelevante e desnecessária. Só o facto de na cantina de Mos Eisley terem colocado Han Solo a disparar em segundo lugar acho cruel. Han Solo é um space cowboy mercenário. Ele dispara primeiro e faz as perguntas depois. Não vi razão para the tirar o “bad ass look” e o meterem a disparar em segundo lugar… enfim…

Este episódio não deixa de ter bastantes erros e falhas, no entanto, em termos de história supera os mais recentes aos pontos.

Episódio V

Para mim o melhor filme da Star Wars. A batalha de Hoth com os a introdução dos AT-AT, o encontro de Luke Skywalker com o mestre Yoda e o seu treino, a ida à Cidade das Nuvens onde se introduz o Lando Calrissian, um antigo mercenário/contrabandista do mesmo calibre de Han Solo, a introdução de Jango Fett na história como o homem que capturou Han Solo e finalmente a revelação de Vader como pai de Luke Skywalker. Acho este episódio brilhante. Mesmo sem ter uma grande batalha espacial, consegue introduzir e revelar uma série de pormenores da história e fazer uma ponte muito coesa entre o episódio IV e o episódio VI.

Episódio VI

Este último episódio, por exclusão de partes, está em número 2 na minha lista de preferidos. Revela o desenlace da história com o golpe final da rebelião contra ao império. Considero a parte inicial muito boa, onde Han Solo é salvo do vilão Jabba The Hut. Dá-nos ali uma série de cenas bastante fixes com a introdução a pouco e pouco do plano para salvar Han, o reverso no plano, e o Luke a aparecer em grande como Cavaleiro Jedi a salvar o dia. Temos também a revelação que Luke tem uma irmã gémea (Leia), a morte do grande mestre Yoda que deposita em Luke toda a esperança de derrotar o império e fazer renascer a ordem Jedi, a grande batalha final feita em Endor e no espaço para destruir a nova Estrela da Morte e a derrota esperada do Imperador Palpatine e o arrependimento mais que necessário de Darth Vader. Depois de tudo o que ele fez, foi o filho que lhe mostrou o caminho de modo a morrer livre do lado negro da força.

Este filme fecha muito bem o ciclo dos 6 filmes que no fundo contam a origem, vida e morte de Anakin Skywalker. A forma como uma criança sem pai dotada na utilização da força evolui no meio dos Jedi, torna-se altamente influenciável por amor, deixa que as suas acções contribuam para a viragem de poder na galáxia e finalmente o seu arrependimento quando é enfrentado pelo seu filho e este consegue-lhe mostrar que ainda existe algo de bom dentro dele, o que o leva a destruir o prelector de toda esta trama, o seu Mestre Imperador Palpatine, e restaurante a paz na galáxia.

Agora resta-nos esperar por dia 17 de Dezembro dia em que iremos conhecer o início de um novo ciclo onde os velhos personagens vão entregar o testemunho aos novos e perceber se JJ Abrams conseguiu construir uma história ao nível dos filmes originais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.