O que há de novo em Batman v Superman: Extended Ultimate Edition

Este artigo obviamente contém spoilers, por isso se ainda não viste o filme, não te aconselho a ler.

Ontem foi dia de finalmente ver a extended cut de um filme que gerou muitas criticas e que outros tantos diziam que a versão estendida é que é. No entanto ainda há um longo caminho para percorrer.

Esta versão estendida está francamente melhor. Apesar do filme ser extenso (3 horas), fiquei bastante contente ao ver que muitos dos temas que na versão de cinema eram atirados ao ar, aqui têm uma explicação e um fio condutor.

Kahina Ziri

Começa logo com o início da história, o suposto envolvimento de Super Homem no massacre da pequena vila de Nairobi. Percebe-se melhor quem são os envolvidos, mais cenas a explicar o trabalho de Lois Lane em perceber o que realmente aconteceu e aquela que me parece ser o kicker nesta história. O facto de Kahina Ziri, a mulher que alega no senado que foi o Super Homem o culpado, mostrar o seu arrependimento e perceber-se o que realmente aconteceu para ela estar a mentir. Outra dos factos que a investigação de Lois descobre é que a cadeira é feita de chumbo, o que explica porque é que o Super Homem nunca poderia ter visto a bomba.

A investigação de Clark Kent

Nesta cut também se dá um maior destaque aos sentimentos de Super Homem em relação a toda a situação. Enquanto na cut original Super Homem parecia um personagem frio e sem sentimentos, nesta versão ele mostra-se claramente preocupado e a sofrer com toda a situação e uma série de cenas foram adicionadas. Uma delas foi, após a explosão no senado, o Super Homem a ajudar as pessoas e não a voar logo para fora dali como na versão do cinema. Também é mostrado um pouco mais da investigação de Clark Kent sobre Batman, o que ajuda a compreender o porquê de ele sentir ódio pelo cavaleiro das trevas.

Steppenwolf

No final do filme, quando Lex é finalmente preso, vê-se ele a comunicar com Steppenwolf, um dos novos Deuses e tio do grande vilão galático Darkseid. Sempre esperei que Darkseid fosse o grande vilão de Justice League mas, de acordo com rumores de sites da especialidade, o grande vilão do primeiro filme será mesmo Steppenwolf. Isto explica o aparecimento dele no filme de Batman v Superman embora o seu relacionamento com Lex Luthor não seja explicado. Outro detalhe que é revelado é o facto de Lex ir para Arkham asylum o que pode significar algumas alianças interessantes de futuro.

Jena Malone

Outros detalhes menos relevantes são adicionados, como o aparecimento de Jon Stewart (o do Daily Show e não o Green Lantern), uma cena de Alfred a cortar Lenha, dois policias a ver um jogo de Futebol americano entre as equipas de Gotham e Metropolis, o aparecimento de Janet Klyburn (Jena Malone) a ajudar Lois Lane com a bala mistério (este personagem faz parte do universo de Cyborg, por isso é possível que apareça na Justice League e no filme de Cyborg), mais imagens do funeral de Super Homem e imagens de Batman a roubar a Kryptonite a Lex Luthor facto que complementou essa parte da história.

Futuro

Apesar da grande melhoria em termos de argumento que fez com que a história fosse mais compreensível e coesa no geral, continuam a haver cenas não explicadas e que falham. O sonho de Bruce Wayne sobre um futuro onde o Super Homem se torna mau e o aparecimento de Flash é completamente descontextualizado e continua a aparecer do céu e a não ter seguimento. Outra das cenas que ainda se mantém é a cena patética de Batman não ter morto o Super Homem pelas mães terem o mesmo nome. O meu cunhado estava a ver o filme comigo e eles ficou completamente à nora nessas duas cenas com um mega WTF! A Wonder Woman também não é nada desenvolvida neste filme o que mostra que ela precisava mesmo de um filme de apresentação antes deste, de modo a que as pessoas a pudessem conhecer.

Esperemos que não cometam os mesmos erros em Justice League. Ficaria muito contente se não o fizessem.

3 thoughts on “O que há de novo em Batman v Superman: Extended Ultimate Edition”

  1. Não vi a versão original, apenas a extended.

    De facto, não me pareceu estranha a questão das mães. Até porque aquilo que é realçado é a questão da mãe de Clark Kent estar em perigo, o que sensibilizou batman (mais ainda por ter o mesmo nome da sua mãe). Não sei se esta cena está diferente do filme original, mas para já, pareceu-me exagerado a confusão gerada nos media e redes sociais.

    A parte em que entra flash, de facto, parece-me descabida e até patética. Sem qualquer nexo. Não deveria ter surgido, ficando no ar se seria mesmo parte do sonho ou não.

    De resto, o filme pareceu-me ok. Nem mau, nem bom. E não o considero abaixo da qualidade do que a Marvel tem vindo a apresentar.

    De qualquer modo, gostaria de apontar alguns pensamentos pessoais:

    – Não consigo ver o Affleck como um Batman credível. Mau casting a meu ver.
    – Este Batman é apenas um bruto com dinheiro. Falta a inteligência, perspicácia, astúcia e drama típicos da personagem. O Batman de Affleck é apenas um estúpido chato com dinheiro.
    – Claramente a Wonder Women é o elo mais forte. Foi o único ser que mostrou ter eficácia e superioridade. Uma verdadeira heroína que dá esperança. O Batman apenas tem dinheiro para gadgets e o Super homem apenas tem poderes, falta-lhes a atitude e postura certa. De resto, nada de heróico neles.

    1. Obrigado pelo teu comentário. Sempre válido como sempre 🙂 Concordo contigo em alguns ponto, mas discordo totalmente no assunto das mães e no facto de Aflefleck não dar um bom Batman e deixa-me dar o meu ponto de vista.

      No caso do assunto das mães acho que podiam ter arranjado outra razão menos parva. Para mim funcionada terem um inimigo comum que tinha de ser destruído, o doomsday.

      Relativamente a Affleck não ser um bom Batman, este Batman era claramente um personagem cego pela vingança e nessa perspectiva ele fez um muito bom trabalho, mostrando-se arrependido da sua atitude no final. Por isso penso que não foi um erro de casting, pelo contrário. Até gostei de o ver como Batman.

      1. Pois. Não consigo concordar contigo relativamente ao Batman.

        O Batman é obscuro, inteligente e um grande estratega. Nunca teria sido enganado tão facilmente por Luthor. Nem nunca teria deixado a lança perdida pelo cenário e nunca teria esgotado todo o Kriptonite. É talvez um dos personagens mais inteligentes da DC e nem de perto senti isso no filme. E nada disto impede de ele agir cego por vingança.

        Affleck tem um problema, faz sempre uma personagem genérica. É o estilo dele. A cara que ele faz no batman é a mesma do Armageadon e a mesma do Daredevil, etc. E o Batman necessita de peso, de drama e tensão. Quando não tem um bom actor, isso reflecte-se negativamente.

        Quanto à questão das “mães”… Não digo que foi perfeito. Só não achei nada de mais. Curiosamente, foi um caso onde um melhor actor teria dado outro dramatismo mais convincente à cena. Affleck não é um Keaton nem um Bale e isso nota-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.